Chiquinha Gonzaga

0

Postado por Regina Ferreirinha | Biografia | 30-11-2010

Chiquinha Gonzaga ¬†¬†¬†¬†¬† ¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†I-BIOGRAFIA ¬†¬†¬†¬†¬†¬† Francisca Edwiges Neves Gonzaga, mais conhecida como Chiquinha Gonzaga Natural do Rio de Janeiro foi compositora,pianista e regente brasileira. ¬†¬†¬†¬†¬† Era filha de Jos√© Basileu Gonzaga, general do Ex√©rcito Imperial Brasileiro e de Dona Rosa Maria Neves de Lima, uma mulata muito humilde, com quem casou apesar de opini√Ķes contr√°rias . ¬†¬†¬†¬†¬†¬†Padrinho [...]

Borbulhas…

0

Postado por Regina Ferreirinha | Poesias rom√Ęnticas | 27-11-2010

Borbulhas… ¬†¬† ¬† ¬†¬† Borbulhas! ¬†¬† De onde vem. ¬†¬† por muito procuras. ¬† ¬† ¬†Bate ! ¬†Em minha ¬†porta cora√ß√£oVOC√ä! ¬† Aquiete-se! Quietinho nosso canto latente por VOC√ä! ¬† Aconchego N√≥s misturando-nos em borbulhas de paix√£o! ¬† ¬† Nosso Momento sedento ¬†borbulhente de paix√£o! ¬† regina ferreirinha¬†27-11-2010

Donzela…

2

Postado por Regina Ferreirinha | Poesias diversas | 27-11-2010

Donzela… ¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† ¬† A encontrei ardida em busca de calor Nem viu quando passei! Ela √© mesmo assim! Sem r√©guas ou equa√ß√Ķes. Sai na sorte com o chicle entre os dentes a catar o sol. Ah.. nunca sai na Isl√Ęndia. Eu ? Fico aqui renitente contando folhinha ue o inverno congelou. Olho-a da janela. Anda em [...]

Guerra…n√£o

0

Postado por Regina Ferreirinha | Poesias diversas | 26-11-2010

Guerra…n√£o ¬† Terra¬† de encantos! De carnaval latente. De can√ß√£o e gente. Hoje¬† filhos choram,Rio peda√ßo lindo do Brasil! O c√©u escurece. Noite funesta Adormece a lua Todos correm pela rua,Rio peda√ßo lindo do Brasil! L√° no alto,Jesus. De bra√ßos abertos. Caminho da luz! Homens choram a¬† morte,Rio peda√ßo lindo do Brasil! Oremos ,Brasil Nos demos [...]

Entre as nuvens

0

Postado por Regina Ferreirinha | Poesias diversas | 25-11-2010

Entre as nuvens Absurdo seria dan√ßar sem m√ļsica ou abra√ßar o vento sem tr√©gua. Mais f√°cil √© degustar o tempo, gota por gota num saciamento. ¬† Verificar as cores das nuvens que passam cheias de pompa. Absurdo seria desperdi√ßar o dia sem tua companhia. ¬† Muda o tempo,passa a ventania e voc√™ com sua brandura olha o c√©u [...]

Odiss√©ia…

0

Postado por Regina Ferreirinha | Poesias diversas | 24-11-2010

Odiss√©ia… Nebulosas imagens saltam aos meus olhos. Muitas miragens. Abro meus bra√ßos. S√£o devaneios de espa√ßo. Luz maior,venha saudar-me. Brilhe em mim ! Reluz¬† sua for√ßa divina Solte-me de ,sou ponto. Grito: _Luz do Senhor ,estou aqu√≠ absorvendo seu amor. ¬†Delua minha dor! Senhor quero gritar!Sou For√ßa! ¬† ¬† ¬†Rodo diante desta odiss√©ia. ¬†Minhas passadas ¬†n√£o [...]

Caminho Torpe

1

Postado por Regina Ferreirinha | Poesias diversas | 23-11-2010

Caminho Torpe Oh! Jovem, desprovido de compostura! Quando exp√Ķes esse teu olhar entediado que nos revela piedade e amargura enfada-nos teu aspecto descompensado. ¬† Onde anda a brandura da tenra idade? Como podes mergulhar nessa f√ļria negra, desperdi√ßar toda a sua singularidade angariando para si um mundo sem regra? ¬† H√° de custar caro esse torpe caminho. [...]