Vista turva

0

Postado por Regina Ferreirinha | Poesias diversas | 06-09-2017

Por onde anda o amor que nĂŁo apareceu.

Exaltas a morte sem ao menos se render.

Sua frieza em tratar a vida me entristeceu.

NĂŁo era assim , minha alma nĂŁo soubes ler.

 

A fé e o amor

Não  me acompanhou.

Num travesseiro, calo a minha dor.

 

Quanta espera, sem ser vista, o ar sumiu.

Entre um ou mais dias a cor empalideceu.

Ninguém sabe e nem por ali viu.

Um gde amor que por polĂ­tica ruiu.

 

 

Sebedoria do coração.

derrotada entre linhas.

SĂł ficou a ilusĂŁo.

 

 

Regina Ferreirinha

Comentar