LINHA

0

Postado por Regina Ferreirinha | Diversas | 24-06-2018

Silêncio se faz.
Onde não há paz.
O silêncio nunca satisfaz.

Pobre caminha e sem encontrar teto.
Vai para rua onde desafeto.
torna sua caminhada incapaz.

Onde está o apego.Se justiça não se faz.
Um mundo que caminha cego.
Continuar trajetória é incapaz.
E  não adianta pedir arrego.

Está só no mundo.
Sua vida em solo imundo.
É dificil continuar.
Se pára sua carcaça estilhaça..
Se prossegue , o inimigo o segue.

Se ajeita e se alinha.
Vai reto feito linha.
Nem sonho e nem clamor.
E diante da dor vê a linha terminar.

Sua súplica é abafada.
Vai para última morada.

Sem direito ao bom nome desfrutar.
Por que nnguém pára, para te escutar.
Pobre não tem direito a voz.

È tratado como retrós.
Desenrolam e jogam fora.
Sem mesmo desembaraçar.

 

 

Regina Ferreirinha

Comentar